terça-feira, 26 de agosto de 2014

Um grande grito de paz!

                                

 A humanidade sofre com a mais terrível e insana crianção do homem; A guerra! Quantas vidas destruídas, quantas famílias massacradas, quantos sonhos apagados pela ação devastadora, desumana, e irracional do homem que foi criado a imagem e semelhança de Deus. Que criatura é essa que destrói, sem precisar de motivo, o seu próprio semelhante? Que banaliza e torna desprezível o mais alto dom dado por Deus: a vida. Animal racional? ser pensante? protagonista e agente transformador do mundo? ou cruel destruidor e devastador da vida e de tudo que existe? Na verdade, o homem se torna produto do seu próprio egoismo. A arrogância, a prepotência e a ganância o levar a passar, sem nenhum sentimento, por cima do seu semelhante, colocando os seus interesses escrupulosos, acima de qualquer coisas, até mesmo de Deus. Achando ser senhor da vida e da morte. A palavra de Deus diz que: "Deus não é o autor da morte, a perdição dos vivos não lhe dá alegria alguma. Ele criou tudo para a existência, e as criaturas do mundo devem cooperar para a salvação".(Prov. 1, 13-15). Jesus nos deixa claro que "tudo o que fizeres a um destes pequeninos é a mim que o fazes" (Mt 25, 40). Deus colocar a vida e a morte, mas tem que saber escolher. "Ponho diante de ti a vida e a morte, a benção e a maldição. Escolhe, pois, a vida, para que vivas com a tua posteridade" (Dt 30, 19). Deus torna maldito todo aquele que mata o seu próximo; "E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue do teu irmão" (Gn 4, 11). Sem o amor de Deus no coração, a paz tão sonhada não poderá acontecer. O próprio Jesus nos diz: "sem mim nada podeis fazer" (Jo 15. 5). Se o coração humano estiver fachado para a ação do Espirito de Deus, a paz não acontecerá! 
   A paz é fruto do Espirito Santo. É o primeiro dom pascal que foi dado pelo ressuscitado quando apareceu ao discípulos. (Jo 20, 19-20). O mestre Jesus nos deixa claro que a paz é uma necessidade fundamental, para que o reino de Deus aconteça. Por isso, Ele nos diz: "E, quando entrardes na casa, saudai-a. Se a casa for digna, que a vossa paz repouse sobre ela; se, todavia, não for digna, que a paz retorne para vós". (Mt 10, 12-13). Dizer NÃO a guerra é, antes de tudo, ser promotores da paz, construtores comprometidos com a realidade, em primeiro lugar; em nossa casa e em nossa vida. Porque ninguém muda o mundo sem antes não mudar a si mesmo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário